O significado das Carpas

Hoje o nosso Hortisabor Itaim completa 4 meses! A cada dia cativamos mais e mais clientes, e alguns até já se tornaram nossos amigos, o que nos deixa muito felizes! É uma satisfação recebê-los, pois trabalhamos sempre com muita dedicação e carinho para que você, cliente especial, sinta prazer ao fazer as suas compras aqui no Hortisabor! Pra você fica o nosso muito obrigado pela preferência e confiança!
E por isso, hoje registramos o nosso cantinho especial e vamos compartilhar o seu significado: 
As carpas ou nishikigoi, significam boa sorte, sucesso, longevidade, perseverança, prosperidade e fertilidade…sendo assim, que ela nos traga sempre boas energias, sabedoria e vitórias em cada caminhada!
Segundo a lenda, a carpa tinha que atingir a fonte do rio que corta a China, o Huang Ho (Rio Amarelo), na época da desova. Para isso, tinha que nadar contra a correnteza e saltar cascatas até a montanha Jishinhan. A carpa que alcançasse o topo tornava-se um dragão.
Por causa dessa crença, acredita-se que uma carpa subindo a correnteza de um rio significa força, coragem e determinação para alcançar objetivos e superar dificuldades. Já uma carpa descendo significa objetivos alcançados ou metas cumpridas. 
A carpa também serviu de inspiração para o escritor Paulo Coelho em um texto “A Carpa Aprende a Crescer”:
“A carpa japonesa (koi) tem a capacidade natural de crescer de acordo com o tamanho do seu ambiente. Assim, num pequeno tanque, ela geralmente não passa de cinco ou sete centímetros – mas pode atingir três vezes este tamanho, se colocada num lago.
Da mesma maneira, as pessoas têm a tendência de crescer de acordo com o ambiente que as cerca. Só que, neste caso, não estamos falando de características físicas, mas de desenvolvimento emocional, espiritual e intelectual.
Enquanto a carpa é obrigada, para seu próprio bem, a aceitar os limites do seu mundo, nós estamos livres para estabelecer as fronteiras de nossos sonhos. Se somos um peixe maior do que o tanque em que fomos criados, ao invés de nos adaptarmos a ele, devíamos buscar o oceano – mesmo que a adaptação inicial seja desconfortável e dolorosa.”
Então em 2015, vamos buscar os nossos sonhos?!?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *